© Todos os Direitos Reservados. Não é permitido compartilhar o conteúdo deste Blog em outros sites. Este Blog está protegido contra cópias de seu conteúdo inteiro ou em partes. Grata pela compreensão.

Ārūḍha Pada





ÍNDICE

1 – Definição de Ārūḍha
2 – Calculando o Ārūḍha dos Bhāvas
3 – Princípio de Satya (Verdade)
4. Nomes dos Ārūḍhas Padas
5 – Colocação dos Planetas a partir dos Ārūḍhas
6 – Interpretando os Ārūḍhas







1 – Definição



Ārūḍha (आरूढ), palavra que aceita os três gêneros, será tratado neste artigo como do gênero masculino por sua terminação em “a” curto. Significa montado, que subiu em algo, como montado em um cavalo; indica algo que foi alcançado, trazido ao conhecimento dos sentidos, percebido.

Ārūḍha, do sânscrito “montado, elevado, sublinhado (como um cavalo); levantado, elevado na altura; realizado, ocupado em seu cargo, que alcançou um local mais elevado; montando em um animal e se elevando”.

A definição acima é a mais simples e segue a interpretação literal dessa palavra em seu idioma, levando a crer que o termo foi escolhido para mostrar que a natividade será vista pelos outros a partir da posição que ela ocupar na sociedade, ou seja, o ponto em que ela se diferencia dos demais ao subir em um patamar elevado, geralmente uma montaria, de modo que possa ser notada pela multidão. Sem essa montaria, ela é apenas só mais uma na multidão, não pode ser notada e nem diferenciada, posto que não ocupa qualquer posição relevante na vida.

Ārūḍha, portanto, é a imagem que os outros têm de uma pessoa em posição elevada, ocupando seu cargo (uma montaria) e fazendo a diferença entre a massa. Não é uma ilusão no sentido de uma mentira como se popularizou entre os astrólogos, mas sim a realidade transitória do seu objetivo da sua atual vida, da sua natureza e personalidade e das suas ações que farão alguma diferença nessa atual encarnação. Um Ārūḍha bem colocado e aspectado indica uma excelente posição de destaque na sociedade, fama, importância, poder e glória. Um Ārūḍha mal colocado e aspectado indica subordinação e uma vida comum como a grande maioria. Esse é o significado do Ārūḍha quando intencionalmente essa palavra foi atribuída para indicar a imagem do indivíduo na realização dos seus objetivos de vida. Os planetas conjuntos ou aspectando o Ārūḍha indicarão o status do indivíduo, sua personalidade, sua ocupação e como ele será visto na sociedade pelos demais. Não é uma mera ilusão, ou máscara socialmente utilizada pelo indivíduo para esconder sua verdadeira natureza, pois frequentemente a pessoa se identifica com essa imagem na vida e age e se porta de acordo com ela, construindo seus ideais e realizando sua missão na sua atual passagem por esse mundo, enquanto os outros a percebem dessa forma também.

Enquanto o Lagna é semelhante ao Sol, o AL é semelhante à Lua e o Paka Lagna  é semelhante à Júpiter. Esses são os três olhos do Kālapuruṣa: Sol (olho direito), Lua (olho esquerdo) e Júpiter (a 3ª visão). Enquanto o Lagna representa a inteligência, o Paka Lagna representa onde essa inteligência será aplicada (para a escolha da profissão) e o AL mostra seu status profissional na vida, isto é, as ações (karma) que farão uma pessoa conhecida publicamente.
Paka Lagna é o signo ocupado pelo Senhor do Ascendente e mostra os maiores interesses do indivíduo, seus desejos, seu modo de aplicar sua inteligência e a direção profissional da sua vida.

Reflexão Regular e o Conceito de Ārūḍha Pada

Podemos conceituar o Ārūḍha como a reflexão regular da luz onde o raio incidente tem o mesmo ângulo do raio refletido sobre uma superfície plana de um espelho. Supondo que o planeta seja o raio incidente, logo, o Ārūḍha será o raio refletido desse planeta. Por exemplo, o governante da casa 1 está posicionado na casa 5 em um ângulo de 150º a partir da casa 1. Se utilizarmos o conceito da reflexão da luz, seu raio refletido também terá um ângulo de 150º, fazendo com que alcance a casa 9. Em outras palavras, se Saturno, o Senhor do Ascendente (Casa 1) está posicionado na casa 5 em Gêmeos, contando mais 5 casas a partir da casa 5, sua imagem (Ārūḍha) deverá ser colocada na casa 9 em Sagitário.

Satya Pīṭha x Māyā Pīṭha

Parāśara e Jaimini Munis, contudo, estabeleceram regras precisas para certas posições do Ārūḍha. É dito: “Se o Senhor de um signo está na 4ª a partir dele, a 4ª casa se torna o Ārūḍha; e se o Senhor de um Signo está na 7ª dele, a 10ª casa se torna o Ārūḍha.” 1.1.31-32

A explicação para essa exceção repousa no fato de que o Lagna e a casa 7 representam o Satya Pīṭha, o assento do eu em sua entrada (casa 1) e saída (casa 7) desse mundo, ao passo que o Ārūḍha representa o Māyā Pīṭha, o assento do eu transitório que cumprirá um determinado papel nesse mundo. Desse modo, o eu transitório não pode ocupar os assentos de entrada e saída do eu permanente (Jīva) desse mundo, casas 1 e 7, respectivamente.

Assim, por exemplo, se o Lagneśa (Senhor do Lagna) se encontra na casa 7, seu AL deve ser colocado na casa 10 (a 4ª dele). Se tal Lagneśa se encontra na casa 4, o AL deve ficar conjunto ao Lagneśa nesta mesma casa. Se o Lagneśa se encontra na casa 10, o AL será posicionado na casa 4 (a 7ª dele). Se o Lagneśa está domiciliado no Lagna, então o AL fica na 10ª.

Esta regra se aplica a todos os governantes de todas as casas, não somente ao Senhor do Lagna.

AL, ou uma casa Upacaya (3, 6, 10, 11) a contar do AL, indica prosperidade na vida.


Ārūḍha e a Māyā – por sumarização, talvez, na obrigação da explicação do sentido da palavra, muitos têm interpretado Ārūḍha como simplesmente significando um eu ilusório, ou não verdadeiro, da natividade sobre o mundo. É uma visão simplista, não totalmente equivocada, mas pobre e que inclina a outros equívocos no momento de interpretar o real papel do Ārūḍha em uma Carta Natal.

A palavra “montada” naturalmente indica uma pessoa montada em um animal. Todas as divindades têm seus vāhanas (veículos) com os quais se movimentam nos mundos existenciais. O ser humano também tem seus veículos de manifestação neste mundo, e este é, sem dúvida, o seu Ārūḍha. Quando encontramos o Ārūḍha de uma pessoa, encontramos o veículo com o qual ele se locomove sobre o mundo. Isso fala bastante sobre a personalidade dessa pessoa, sobre a forma com o qual o mundo a percebe, uma vez que é assim que ele se mostra ao mundo. Certamente não é o seu eu verdadeiro, mas é parte de um eu transitório que será exibido ao mundo para a realização de seus deveres aqui.

Ārūḍha significa algo que foi trazido ao conhecimento dos sentidos, que foi percebido. Essa percepção da realidade é uma mera imagem transitória para aquele exato momento da sua existência. Em outra vida, outro corpo, outro espaço-momento existencial, este Ārūḍha mudará e a alma (Jīva) corporificada neste mundo assumirá outro veículo, outros deveres e outra imagem. Isto quer dizer que a forma com que percebemos a pessoa, o seu Ārūḍha, será real para aquela atual existência, e a māyā significa que é transitória em relação à eternidade, uma vez que a cada vida tomamos um novo destino e nos revestimos de nova personalidade. Mas isto não quer dizer que a pessoa deliberadamente força essa imagem sobre o mundo e os outros à sua volta, simplesmente significa que os outros a verão com essa imagem, e suas atitudes, gostos pessoais e estilo de vida irão corroborar para que esta imagem seja assim aceita pela sociedade.

Então, todos veremos uma determinada imagem e rotularemos é “isso” ou “não é isso”. Essa imagem é parte transitória de Jīva, mas não é Jīva, assim como os corpos karaṇa, sūkśma e sthūla śarīra são partes transitórias de Jīva, mas não são Jīva.


Interpretando o AL

As casas governam muitos assuntos e possuem energias específicas que imprimirão ao nativo uma determinada imagem e carácter específico se o seu AL estiver colocado lá. Mas, para analisar o AL, a partir de sua colocação nas casas, devemos observar alguns princípios.

1º Princípio de estudo – As casas e seus Kārakas Naturais a contar do Lagna

Existem princípios que margeiam a energia das casas e contribuirão para delinear o AL da pessoa no mundo. O primeiro grupo a ser tratado aqui é o dos Naisargika Kārakas. Sol é Naisargika Kāraka da casa 1; Júpiter, das casas 2, 5, 9 e 11; Marte, somente da casa 3; Lua, somente da casa 4; Saturno, das casas 6, 8 e 12; Vênus, somente da casa 7; e Mercúrio, somente da casa 10. AL colocado nessas casas tomarão para si a energia de seus kārakas planetários.

O segundo grupo de significadores é dos Carakārakas (significadores temporários) sobre as casas. AK é kāraka da casa 1; Dk, das casas 2 e 7; BK, das casas 3 e 11; MK, da casa 1; Puk, da casa 5; Pik, da casa 9; e AmK da casa 10. A casa 12 não possui significadores móveis, pois é um Mokṣa Bhāva, ou seja, o Bhāva da liberação. AL colocado nessas casas tomarão para si as características destes significadores em sua personalidade.

O terceiro grupo de significadores é da energia das divindades governando sobre as casas a contar do Lagna. Os koṇas são governados por Śrī Lakṣmī e são doadoras de riqueza sem esforço, como um mérito adquirido por esforços em vidas passadas e o AL posicionado nestas casas, mostram uma pessoa abençoada pela divindade ou que é vista como dotada de elevadas características morais e espirituais. Os Kendras são governados por Śrī Viṣṇu, com exceção do Lagna que é um koṇa e um kendra ao mesmo tempo. O Lagna, portanto, é governado por Śubha Śiva, isto é, a forma auspiciosa e humana de Śiva. Os kendras governados por Viṣṇu representam o sustento de toda a criação e eles afetam positivamente a imagem (AL) do indivíduo como uma pessoa protetora para o mundo ou para os mais necessitados.

As casas Triṣaḍāyas (3, 6 e 11) representam Brahmā, e são chamadas de pāpa phala (frutos do pecado). As casas 3 (tri), ṣaḍ (6) e āya (11) representam as fraquezas humanas e seus desejos. As fraquezas são mostradas através da casa 6, enquanto as casas 3 e 11 mostram os desejos que nos fizeram retornar a esse mundo. O AL posicionado nas casas 3 e 11 pode destruir a imagem da pessoa no mundo, sobretudo se muito aflito, através de sua conduta no mundo. O AL nunca estará na casa 6.

As casas 2, 8 e 12 são governadas por Rudra, e são chamadas Rudra Bhāvas. O AL nunca poderá se posicionar em uma dessas casas. Os pares de casas impossíveis do AL ser posicionado são 1-7, 2-8 e 6-12, pois estas casas representam a entrada e saída de Jīva do mundo, como já visto, a destruição da vida, e a liberação (12) após vencida todas as fraquezas humanas (6).

Todos os três grupos de significadores acima listados emprestarão suas qualidades e defeitos à imagem do AL posicionado nessas respectivas casas.

Abaixo uma tabela da posição do AL a partir da colocação do Lagneśa em determinadas casas.

Lagneśa
Posição do AL à
1
10
2
3
3
5
4
4
5
9
6
11
7
10
8
3
9
5
10
4
11
9
12
11

Se o planeta estiver domiciliado nas casas, então seu Ārūḍha vai para a 10ª de si mesmo, incluindo o Lagneśa domiciliado no Lagna como mostra a tabela acima.

A casa onde o AL está posicionado indica como essa imagem se elevará diante do mundo. O AL associado com as casas 4 e 10 ou seus governantes confere uma missão na vida pública. Frequentemente comandantes de nações e pessoas muito carismáticas que se tornam famosas exibem essa particularidade, sobretudo a casa 10, que leva a imagem do indivíduo para o ponto mais alto do Zodíaco, o Meio do Céu, pois essas casas estão associadas com a Criação, e os fazem sobressair diante da multidão de pessoas. Se a natividade irá ou não alcançar essa posição na vida, isso depende muito da força do seu dispositor (planeta que governa o signo onde o AL está colocado) e os planetas que aspectam e conjuntam o AL. 


2º Princípio de estudo – Planetas influenciando o AL e as casas a contar do AL

Enquanto no 1º princípio a energia e característica das casas são contadas a partir do Lagna, no 2º princípio o AL é colocado como se fosse um novo ascendente e as casas a partir dele darão os resultados para suas conquistas materiais e espirituais. Assim, planetas conjuntos ao AL, ou aspectando-o, imprimirão uma característica peculiar à sua personalidade. Planetas na 2ª, 3ª etc., casas a partir do AL, agirão de modo semelhante como se estivessem na 2ª, 3ª etc., do Lagna. É uma análise muito útil, pois o AL mostra a realidade da vida material (a māyā transitória dos feitos e conquistas do indivíduo nesse mundo) e, portanto, é muito prática e eficiente uma predição feita com base no AL. Para estudarmos o 2º princípio, detalharei abaixo o significado de cada planeta em relação ao AL em uma Carta Natal.


3º Princípio – Planetas conjuntos ou aspectando o AL

Todos os planetas podem conferir uma personalidade magnética e fascinante ao indivíduo se eles estiverem domiciliados, em mūlatrikoṇa, exaltados ou com força. Planetas debilitados, em signo inimigo ou oposto ou fracos de algum modo irão produzir pessoas comuns e sem grande carisma. Quanto melhores aspectos tiver o AL, mais eminente será essa pessoa dentro da sociedade e digna da realização de um importante papel nesse mundo.

Muitos maléficos aspectando ou conjunto ao AL conferem uma personalidade destrutiva, temida e odiada. Essa pessoa pode ser vista como brutal, assassina ou ditatorial.

Muitos benéficos aspectando ou conjunto ao AL conferem uma personalidade magnética, querida e adorada.

Além dessa perspectiva, o leitor deve observar que, sendo os planetas significadores fixos de pessoas (Sthira Kārakas), sua posição nas casas a contar do AL mostram as pessoas relacionadas com ganhos e perdas, criação, sustentação e destruição da boa fortuna do indivíduo. Parāśara Muni foi claro ao estabelecer esta regra dizendo que se Saturno ou Marte estiverem posicionados na 12ª do AL, os gastos seriam com irmãos mais velhos ou mais novos, respectivamente. Portanto, Sol indica pai ou homens do governo. A Lua e mulheres em geral são significadas por Lua. Marte representa irmãos e militares de um modo geral. Mercúrio representa tios maternos, amigos e conselheiros, jovens em idade escolar ou pessoas associadas ao trabalho da natividade ou vizinhos próximos. Júpiter representa a lei, juízes, professores e preceptores, bem como o marido em cartas femininas. Vênus representa mulheres para homens e jovens e crianças de um modo geral. Saturno representa empregados, subalternos, pessoas mais velhas ou indigentes. Os nodos representam viúvas, avós, ou pessoas sem castas, estrangeiros, ou que vivem à margem da sociedade, ladrões e enganadores etc.

Qualquer Ārūḍha conjunto, ou em kendra ou trikoṇa, do AL, faz a natividade ter amizade mútua com o significador daquele Ārūḍha. Por exemplo, se o Darapada (A7) estiver nesta situação com o AL, o casal terá harmonia no casamento. Se o A5 nesta posição com o AL, o indivíduo terá boas relações com seus filhos.

Qualquer Ārūḍha ou planeta conjunto ao AL mostra o marco de partida que fará essa pessoa dar uma guinada de 180º positivos em sua vida. Por exemplo, se o A7 ou UL estiverem juntos do AL, indica que após o casamento é que a imagem da pessoa será melhor percebida, ou que ela se elevará na vida após o casamento com a ajuda do cônjuge. Se o A5, indica que após a paternidade ou maternidade, algo acontecerá que a vida dessa pessoa irá melhorar e ela será reconhecida publicamente em algum setor específico, e assim por diante.

Qualquer Ārūḍha ou planeta na 6ª, 8ª ou 12ª do AL, indica sofrimento  em relação à pessoa representada por aquele Ārūḍha ou planeta. Por exemplo, se o A9 estiver nesta posição em relação ao AL, a natividade terá inimizade com seu pai e dificuldade de relacionamento com mestres, autoridades ou patrão. Se Vênus estiver nesta posição, o karma difícil será em relação à esposa ou mulheres em geral. Planetas na 6ª do AL mostram inimizades, doenças e fraquezas de caráter que as pessoas conseguem enxergar em torno da natividade. Planetas na 8ª do AL mostram as terríveis experiências de vida, associadas com karmas passados, que a natividade terá de enfrentar nesse mundo. E planetas na 12ª do AL mostram as perdas materiais ou doações, as perdas afetivas ou as renúncias que a natividade terá de suportar nesta vida.

Qualquer planeta ou outro Ārūḍha bem colocado a partir do AL, da 7ª dele, de um Kendra ou Trikoṇa a contar do AL é bom para crescimento material e harmonia da relação.

Júpiter e Mercúrio estão muito fortes a partir da 1ª casa do AL. Eles obtém digbala (força direcional) e mostram pessoas intelectuais, de bom pensamento argumentativo, interesse em filosofia, ciência e religião. São excelentes escritores, oradores públicos, possuem carismas e podem cativar facilmente as outras pessoas com sua personalidade encantadora e magnética. Eles também possuem meio digbala na 2ª e 12ª do AL, mas na 12ª mostram perdas materiais na vida. Quando na 7ª do AL, contudo, perdem essa força direcional e já não conduzem ao mesmo resultado.

Lua e Vênus estão muito fortes a partir da 4ª casa do AL porque possuem digbala nessa casa. Mostram pessoas com carisma, interessadas no bem-estar da sua comunidade, caridosas, filantrópicas, com um bom status financeiro e boa popularidade. No momento oportuno terão uma grande residência e todos os tipos de luxo possíveis, ainda que tenham nascido em uma família pobre terão a oportunidade de habitarem bons imóveis e desfrutar de uma vida de conforto. Eles também possuem meio digbala na 3ª e 5ª do AL. Esses planetas são fracos a partir da 10º do AL, onde perdem digbala.

Sol, Marte e Ketu estão muito fortes na 10ª do AL porque é o local do seu digbala. Mostram pessoas de comando, de visão espiritual ou política, dependendo do signo onde estão colocados. Nesta posição ajudarão a natividade a se elevar, a serem populares e queridos. Esses planetas estão fortes também na 9ª e 11ª do AL, pois possuem meio digbala. Contudo, estão fracos quando posicionados na 4ª do AL.



2 – Calculando o Ārūḍha dos Bhāvas


Parāśara ensinou o método de cálculo de todos os padas dos Bhāvas, Grahas e Nakṣatras:


Princípio 1 – Para encontrar o Ārūḍha Lagna (AL) conte do Lagna até o signo onde o Senhor do Lagna está colocado. Em seguida, conte o mesmo número de casas a partir da casa onde o Senhor do Lagna está colocado. O signo obtido é o Ārūḍha Lagna, ou o Pada Lagna.

Princípio 2 – O mesmo deve ser feito para encontrar os padas de qualquer outra casa.

Princípio 3 – O pada não pode ser colocado no mesmo signo dele. Se o pada cair no mesmo signo, então ele é deslocado para o 10º Bhāva.

Princípio 4 – O pada não pode ser colocado no 7º signo dele. Se o pada cair no 7º signo a partir dele, então ele deve ser deslocado para o 4º Bhāva, o 10º a partir do 7.


Exemplo 1 – Encontrar o Ārūḍha do Lagna (AL) – Aquário é o Lagna. Saturno o seu Senhor principal. Saturno está na casa 5. Conte do Lagna até a casa 5 (encontraremos Gêmeos). Conte da casa 5 (Gêmeos) mais 5 casas. Obteremos a casa 9 (Libra). O AL deve ser posicionado na casa 9 em Libra.

Exemplo 2 – Quando o Ārūḍha cai no mesmo signo – Aquário é o Lagna. Saturno o seu Senhor principal. Saturno está no Lagna mesmo. De acordo com o 3º princípio, o pada não deve cair no mesmo signo de onde está sendo refletido. Então, desloca-se o pada para a 10ª daquela casa. Logo, o AL ficará na 10ª, em Escorpião.

Exemplo 3 – Quando o Ārūḍha cai na 7ª dele mesmo – Aquário é o Lagna. Saturno o seu Senhor principal. Saturno está colocado na 10ª casa, em Escorpião. Conte 10 casas a partir de Escorpião e o pada cairá em Leão, na 7ª casa a partir do Lagna. De acordo com o 4º princípio, o pada não deve cair no 7º signo a partir da casa calculada. Então, desloca-se o pada para 4ª daquela casa. Logo, o AL ficará na 4ª casa, em Touro.

Exemplo 4 – Quando o Governante cai na 4ª casa – Aquário é o Lagna. Saturno o seu Senhor principal. Saturno está colocado na 4ª casa. Contando mais 4 casas, o Ārūḍha cairia na casa 7. Isto não é possível pelo 4º Princípio. Daí o Ārūḍha fica na própria casa 4.

Exemplo 5 – Quando o Governante cai na 7ª casa – Aquário é o Lagna. Saturno o seu Senhor principal. Saturno está colocado na casa 7. Contando mais 7 casas, o Ārūḍha cairia no Lagna. Isto não é possível pelo 3º Princípio. Daí o Ārūḍha fica na casa 10.

Observação – os princípios e regras acima descritos devem ser aplicados a todos os Ārūḍhas, não somente em relação ao Lagna.



3 – Princípio de Satya (Verdade)



Existe uma explicação plausível para o fato de Parāśara e Jaimini Munis terem excluídos da 1ª e da 7ª casa a colocação do Ārūḍha. As casas 1 e 7 fazem parte tanto da metade visível (dṛṣya) quanto invisível (adṛṣya) do zodíaco, representando luz e escuridão, respectivamente. As duas representam, simultaneamente, luz e escuridão, uma vez que elas dividem, pela cúspide, estas duas naturezas. Ou seja, o Udaya Bhāva (Ascendente) é tanto dṛṣya quanto adṛṣya. O mesmo para o Astra Bhāva, a casa 7.

Em seguida, o Lagna (Leste) é o local do nascer do Sol, o surgimento da luz; enquanto a 7ª casa (Oeste) é o local do pôr do Sol, o recolhimento da luz e consequente escuridão.

Quando Sol nasce, simbolizado pela casa 1 (Leste), seu percurso natural no tempo de encontro ao seu Saṅdhi seguinte é o meio dia, simbolizado pela casa 10 (Sul). Por isso que se o AL estiver no Lagna ele deve ser alterado para a casa 10.

Quando Sol se põem, simbolizado pela casa 7 (Oeste), seu percurso natural no tempo de encontro ao seu Saṅdhi seguinte é a meia-noite, simbolizado pela casa 4 (Norte). Por isso que se o AL estiver na casa 7 ele deve ser alterado para a casa 4.

Pelo princípio de Satya Pīṭha, o assento da verdade, as casas 1 e 7 são assim chamadas não só pelo fato de representarem as principais junções do Sol no percurso do dia-noite, mas porque elas conservam, em si mesmas, os dois opostos “luz-escuridão”. Como vimos, elas governam sobre as duas metades visível-invisível simultaneamente, enquanto todas as outras casas só governam sobre um desses princípios, ou só sobre a luz (visível, dṛṣya) ou só sobre a escuridão (invisível, adṛṣya). As outras casas não contêm a verdade (satya), mas uma parte dela.

O pada, sendo um reflexo de um objeto e não o objeto em si mesmo, não pode ocupar as casas que simbolizam a verdade inteira. Seu reflexo estará quer na parte visível ou invisível, mas não em ambas a partir de onde é extraído.



4. Nomes dos Ārūḍhas Padas


Normalmente eles são chamados pelo nome atribuído a um ou outro significado das casas. Cada casa tem mais de um nome e, por isso mesmo, eles podem receber diversos nomes, sejam prefixados ou sufixados pelas palavras padas e ārūḍhas. O leitor deve se familiarizar com estes termos.

Bhāva
Ārūḍha
Símbolo
Nomenclatura Usual
1
Lagna
Ārūḍha Lagna
AL
Pada Lagna
2
Dhana
Ārūḍha Dhana
A2
Dhana Pada
3
Sahaja
Ārūḍha Bhrātṛ
A3
Bhrātṛ Pada
4
Sukha
Ārūḍha Mātṛ
A4
Sukha Pada
5
Putra
Ārūḍha Putra
A5
Mantra Pada, Putra Pada
6
Śatru, Ripu
Ārūḍha Ripu
A6
Śatru Pada
7
Dārā
Ārūḍha Asta
A7
Dārā Pada
8
Mṛtyu, Roga
Ārūḍha Roga
A8
Mṛtyu Pada
9
Dharma, Bhāgya
Ārūḍha Dharma
A9
Bhāgya Pada
10
Karma, Rājya
Ārūḍha Karma
A10
Rājya Pada
11
Lābha
Ārūḍha Lābha
A11
Lābha Pada
12
Vyaya, Upa
Ārūḍha Vyaya
A12, UL
Upa Pada



5 – Colocação dos Planetas a partir dos Ārūḍhas


Além do digbala dos planetas a partir do AL, que é estudado em “Bala Graha”, existe uma importância dada à colocação deles a partir de Kendras (1, 4, 7 e 10), Paṇaphara (2, 5, 8 e 11) e Āpoklimas (3, 6, 9 e 12). Estas casas são divididas em Rajas, governadas por Brahmā; Sattvas, governadas por Viṣṇu; e Tamas, governadas por Śiva, respectivamente.



Planetas, Casas, Guṇa, Devatā

Aplicável em relação ao Ārūḍha Lagna

Kendra
Paṇaphara
Āpoklima
1, 4, 7, 10
2, 5, 8, 11
3, 6, 9, 12
Rajas
Sattvas
Tamas
Brahmā
Viṣṇu
Śiva
Sol
Sattvas

Sol

Lua
Sattvas

Lua

Marte
Tamas


Marte
Mercúrio
Rajas
Mercúrio


Júpiter
Sattvas

Júpiter

Vênus
Rajas
Vênus


Saturno
Tamas


Saturno
Rāhu
Tamas


Rāhu
Ketu
Tamas


Ketu



Planetas que possuem Guṇa idêntico à da casa, são melhores colocados nestas casas do que em outras. Sol, Lua e Júpiter, possuindo Sattvas Guṇa, estão melhores colocados em Paṇaphara Casas do Ārūḍha Lagna. Mercúrio e Vênus, possuindo Rajas Guṇa, estão melhores colocados em Kendras do AL. Enquanto Marte, Saturno, Rāhu e Ketu estão melhores colocados em casas Āpoklimas do AL.

6 – Interpretando os Ārūḍhas


Além dos resultados generalizados a partir da posição de planetas em casas a contar do AL, pode-se colher mais informações ainda a partir de um estudo minucioso da natureza desses planetas, bem como de outros Ārūḍhas e demais corpos posicionados nas mais diversas casas a contar do AL.


A 1ª casa do AL é sempre a imagem principal. Todos os planetas em conjunção ou aspecto com o AL irão delinear o modo como o mundo verá aquela pessoa. Novamente, o princípio estabelecido em guṇa para cada planeta, é mais aceitável para imprimir à natureza do indivíduo semelhante qualidade do que o fato de ser um benéfico ou maléfico natural. Por exemplo, Sol, Lua e Júpiter, sendo de natureza sattvica, ao entrar em contato, quer por conjunção ou aspecto, com o AL, irá conferir essa natureza também ao nativo, e então ele se mostrará ao mundo como uma personalidade agradável, calma e magnética. Mercúrio e Vênus imprimirão uma natureza rajásica. Enquanto os demais maléficos, uma certa brutalidade. Sempre tome o planeta mais forte para indicar a natureza mais predominante em caso de mais de um influenciar o AL.

“Um planeta conjunto ou aspectando a 1ª do AL é o prenúncio de prosperidade. Benéficos indicam ganhos por através de meios justos ou aceitáveis métodos legais. Maléficos indicam ganhos através de meios questionáveis e ilegais. Exaltação, colocação no próprio signo etc., do planeta deve ser considerado.” Jaimini 1:3.2-5

Júpiter e Mercúrio no AL possuem digbala, força direcional, e podem favorecer a construção de uma boa imagem na vida da pessoa. Júpiter está fraco na 3ª do AL e Mercúrio está fraco na 4ª a contar do AL, pois configuram suas posições em MKS (Māraṇa Kāraka Sthāna). Saturno está em MKS quando conjunto ao AL e pode fazer o nativo perder tudo na vida pelos mesmos princípios de quando ele está no Lagna. Saturno no AL na casa 10 indica queda de posição, perda de status e humilhação pública. Saturno, contudo, está forte na 7ª do AL. Lua e Vênus são fortes na 4ª do AL, conferindo prosperidade nessa posição. Lua está fraca na 8ª do AL e Vênus na 6ª do AL. Marte e Sol estarão bem colocados na 10ª do AL. Marte está fraco na 7ª do AL e Sol fraco na 12ª do AL. Todas essas posições representam ganhos e perdas de acordo com os significadores dos planetas e casa onde o AL estiver colocado.

2ª do AL – ela é a casa que sustenta não só a imagem do nativo, mas também sua vida. É uma casa Sattvas e governada por Viṣṇu, o sustentador. Assim, qualquer planeta, corpos ou demais Ārūḍhas colocados aqui, irão providenciar sustento e apoio à natividade. De um modo geral o sustento pode ser adequado, aceitável e prazeroso, quando feito por planetas Sattvas; pode trazer certo grau de confronto e desconforto emocional, quando feito por planetas rajasicos; ou sofrido e indesejável, quando feito por planetas tamásicos. Estes últimos podem providenciar a destruição da imagem e sustento da vida do nativo, pois a 2ª é uma casa māraka também para o AL.

Parāśara afirma que “se Budha no 2º do Pada Lagna (AL), faz o nativo Senhor sobre todo país. Śukra no 2º do Lagna Pada fará um poeta ou um orador.” BPHS 30-37

“Qualquer um de Budha, Guru e Śukra, estando exaltado no 2º do Lagna Pada, e estando com força, fará o nativo rico. Os Yogas assim citados por mim com relação ao Lagna Pada, são semelhantes avaliados a partir dos karakāṃśas”. BPHS 31:28-29

Sobre o Karakāṃśa alguns são da opinião de que ele é contado a partir do AK na Carta D-9, enquanto outros, como K.N. Rao indicam-no como a posição do AK a partir da Carta D-1.

Jaimini concorda com Parāśara sobre a importância da 2ª casa a contar do AL para determinar a fortuna material na vida da natividade:

“Ketu na 2ª do AL indica cabelos brancos prematuros ou um pênis longo. Lua, Júpiter ou Vênus na 2ª causam prosperidade e riqueza. Exaltados planetas na 2ª trazem riqueza e prosperidade”. Jaimini 1:3.14-16

Em Ślokas anteriores, Parāśara Muni aconselha a aplicar os princípios referentes ao 7º Bhāva a contar do AL também em relação à casa 2 – “Oh, Brāhmaṇe, estes Yogas como narrado por mim com relação ao 7º do Lagna Pada, devem também serem considerados a partir do 2º do Lagna Pada.”

Fazendo a reposição dos Ślokas 23 a 27 do Capítulo 31 do BPHS, teremos os seguintes resultados sobre planetas colocados na 2ª do AL:

·        Rāhu ou Ketu nesta casa fazem o nativo ser perturbado por desordens do estômago, ou por fogo.
·        Ketu nesta posição e recebendo um aspecto de outro maléfico faz o nativo ser um aventureiro, ter cabelos brancos prematuramente e um grande órgão masculino.
·        Júpiter, Vênus ou Lua (ou os três juntos) farão o nativo muito rico.
·        Quer seja benéfico ou maléfico, se estiver exaltado o nativo será rico e famoso.

Estas posições se referem tanto à 2ª quanto à 7ª do AL

Devemos, pois, observar a dignidade do planeta que ocupa ou aspecta a 2ª ou 7ª do AL, pois mesmo os maléficos, quando exaltados, trarão riqueza e prosperidade, como Parāśara e Jaimini ensinam. Parāśara explica que resultados semelhantes aos dos planetas na 7ª casa do Lagna Pada devem ser preditos em relação aos planetas na 2ª dele porque estas duas casas têm semelhanças entre si. Não apenas por serem Mārakas em relação ao Lagna Pada, mas, principalmente, por simbolizarem o cônjuge.


Segundo Parāśara, se Rāhu ou Ketu estiverem na 2ª do AL, então o nativo será perturbado por desordens de estômago e pelo fogo. Se Ketu estiver aqui e aspectado por outros maléficos, ele será corajoso e aventureiro, e terá cabelos brancos e sinais de velhice prematuros. Se for Júpiter, Vênus e Lua, os três juntos, ou dois deles, ou somente um, o nativo será muito rico. Se existirem benéficos ou maléficos exaltados, então ele será abençoado com riqueza, nome e fama. O mesmo se dará para a conjunção de Mercúrio, Júpiter e Vênus, ou dois deles, ou apenas um, e em estado de exaltação, na 2ª do AL. Se Mercúrio estiver na 2ª do AL, o nativo será senhor sobre um país. Se Vênus, o nativo será um poeta ou um orador.

Embora os resultados descritos pelos antigos, devemos sempre focar na natureza do planeta no momento de dar seus resultados. Maléficos exaltados devem conceder imensa prosperidade, mas não devemos ignorar sua natureza tamasica e brutal. Embora cada planeta tenha o poder de doar prosperidade quando colocado ou aspectando a 2ª do AL, os tamásicos trarão destruição sobre a imagem (AL).

Os planetas maléficos, quando envolvidos em ganhos materiais, sempre indicaram meios questionáveis e desonestos para justificar o fim obtido. Os meios questionáveis são aqueles geralmente feitos pela justiça humana, nem sempre justa em sua integridade, ou variável de acordo com a lei aplicada em determinada época da história e cultura humanas.

Saturno e Rāhu indicam mentiras e calúnias. Rāhu quando conjunto a 2ª do AL indica que o nativo é o responsável por causar a si mesmo os escândalos que destruirão sua imagem. Ketu, além de providenciar sinais de envelhecimento precoce, traz idênticos problemas aos planetas tamásicos em casas sattvicas. Marte significa escândalos amorosos e sexuais, sendo esta colocação muito mais difícil quando em mapas femininos. Vênus e Mercúrio, embora benéficos naturais, são planetas rajásicos, e quando posicionados ou aspectando esta casa, tende a trazer desde escândalos amorosos e problemas com mulheres (Vênus), quanto problemas no exercício profissional (Mercúrio) e demais assuntos relacionados aos significadores de Mercúrio. Dois ou mais planetas tamásicos influenciando a 2ª do AL mostram perigo de morte ruim, sobretudo se um deles está colocado na 8ª do AL. Os planetas governantes de Dusthānas e de casas de ferimentos simultaneamente, colocados ou aspectando a 2ª do AL, também providenciarão semelhantes perigos para a vida. O astrólogo pode ter essa confirmação se maléficos estiverem colocados, simultaneamente às condições anteriores, na 3ª do AL, o qual mostra a arma da morte. A estimativa da longevidade sempre deve ser predita por meios devidos, e não se deve predestinar semelhantes acontecimentos senão após minucioso estudo da carta em seu todo. Lagna, Lagneśa e Lua, bem como o Senhor da 10ª casa, quando bem protegidos e colocados em uma Carta Natal, previnem muitos males, nulificando yogas planetários maléficos e prolongando a vida para o máximo da expectativa permitida.

Portanto, embora cada um a seu modo traga certa quantidade de prosperidade material, sustentando com boa ou má fama/nome a imagem (AL), dependendo de sua dignidade se exaltado, em signo amigo etc., ainda assim, cada um que não seja compatível com a natureza sattvica da casa, também trará algum tipo de desacordo por interferir no equilíbrio do guṇa sobre esta casa.


7ª do AL – representa os relacionamentos em geral e a boa fortuna a partir dos apoios profissionais, mas não casamento. Casamento deve ser visto a partir do Darapada (A7) e do UL em relação aos Ārūḍhas. Importante ressaltar que os Ārūḍhas da casa 2 à 11, ou seja A2 ao A11 são diferentes de 1ª, 2ª, 3ª casas a contar do AL. Esses Ārūḍhas (A2, A3... etc) são as imagens reflexos dos governantes das casas 2, 3... etc., assim como o AL é a imagem reflexo do governante 1. Parāśara e Jaimini deram muita importância tanto para a 7ª casa a contar do AL quanto do Ārūḍha da casa 7, chamado Darapada.

(a) Se Rāhu ou Ketu estiverem colocados no 7º Bhāva contado do Lagna Pada, o nativo será perturbado por desordens do estomago, ou por fogo. (b) Deve Ketu estar no 7º do Lagna Pada, recebendo uma dṛṣṭi ou em yuti com outro maléfico, e o nativo será aventureiro, terá cabelos brancos prematuramente e terá um grande órgão masculino. (c) Deve um, dois, ou todos os três, dentre Guru, Śukra e Candra, estarem no 7º Bhāva do Lagna Pada, e o nativo será muito rico. (d) Quer seja um benéfico ou um maléfico, se ele estiver exaltado no 7º do Lagna Pada, o nativo será rico e famoso. BPHS: 31:23-26

Igual Śloka é mencionado por Jamini, “Rāhu ou Ketu na 7ª do AL indica doenças no estômago”. 1.3.13 Jaimini.

Sobre o Darapada – Se o Darapada (A7) cai no 6º, 8º ou 12º Bhāva do Lagna Pada, então o nativo será pobre. Se o Lagna Pada (AL) e o 7º a contar del, ou um ângulo (kendra), um trino (trikoṇa), ou um Bhāva Upacaya (3, 6, 10, 11) contado dele, está ocupado por um Graha forte (exaltado, mūlatrikoṇa, domiciliado), haverá felicidade entre marido e esposa. Se o Lagna Pada (AL) e o Darapada (A7) estão mutuamente em kendras ou em koṇas, haverá amizade entre o casal. Se estes estiverem mutuamente nas casas trikas 6º, 8º ou 12º, sem dúvida inimizade mútua surgirá. Oh, Brāhmaṇe, semelhantemente o relacionamento mútuo, ou ganho ou perda através de filhos etc., deve ser conhecido tomando como base o Pada Lagna e o Pada do Bhāva relacionado (A5). Se o Pada Lagna e o Darapada (A7) estiverem mutuamente em ângulo, ou no 3º e 11º, ou em koṇas, o nativo será um rei governando a terra. Semelhantes deduções devem ser feitas com relação às posições mutuas do Pada Lagna e do Darapada (A7). BPHS 31:30-37

Resultados semelhantes foram preditos por Jamini – e o Darapada (A7) estiver em um Kendra ou Trikoṇa do AL, ou se o AL e o A7 forem ocupados por fortes planetas, o nativo será muito rico e famoso em seu país, de acordo com Parāśara. Jaimini concorda ao dizer que o Darapada (A7) em um quadrante ou trino (1ª, 5ª 9ª) do AL traz as bênçãos de Śrī Devī (prosperidade) 1.3.18 Jaimini. Jaimini enfatiza que esta posição indica harmonia marital e compatibilidade física, mas que se ele (o Darapada) estiver em outra casa o nativo não será um afortunado 1.3.19 Jaimini. Ao contrário, ele afirma que se o Darapada estiver na 6ª, 8ª ou 12ª casas do AL faz o casal disposto em inimizade um ao outro. O Darapada em um quadrante ou trino do AL indica harmonia marital e compatibilidade física. 1.3.20 Jaimini; e acrescenta: O Darapada na 6ª, 8ª ou 12ª casas do AL faz o casal disposto em inimizade um ao outro. 1.3.21 Jaimini

“A 7ª e a 12ª do AL mostram aqueles que estão se afastando de nós, o de quem somos separados nesta vida.”

O relacionamento mútuo entre o AL e qualquer outro pada (A2, A3 etc...) deve ser levado em consideração aqui. Qualquer que seja o Pada daquela casa, se ele estiver em aspecto mútuo com o AL, ou se posicionados em Kendras e Trikoṇas a contar do AL, então os assuntos daquelas casas prosperarão, mas se a posição deles for em trikas (6, 8, 12) a contar do AL, então deve-se predizer inimizade mútua entre a natividade e as pessoas governadas por aquela casa do pada em questão. 


11ª do AL esta é uma casa Upacaya e também uma Paṇaphara. As casas Paṇaphara (2, 5, 8, 11) foram derivadas dos Kendras para estabelecer as áreas da vida que produzem crescimento. Parāśara frequentemente se refere à casa 11 como “lucro” enquanto à 2 como “riqueza” para diferenciá-las. As casas da boa fortuna, de ganhos, são chamadas de Paṇaphara e se referem a cada uma das casas 2 a partir de um Kendra. Assim, a casa 2 é a casa da riqueza em si, a casa 5 é a riqueza que vem da mãe, a casa 8 é a riqueza que vem do casamento e a casa 11 é a riqueza que vem do pai e também do trabalho. Para Parāśara, a casa 10 se refere à casa do pai, pois esta é a 7ª da casa 4, que se refere ao cônjuge da mãe.

“Oh, Brāhmaṇe, agora falarei sobre os efeitos dos Grahas baseados no Pada. Se o 11º do AL (Pada do Lagna) está ocupado, ou recebendo um Dṛṣṭi de um Graha, o nativo será feliz e rico. A riqueza virá através de vários meios se um benéfico está relacionado (à regra acima). Um maléfico conferirá riqueza através de meios questionáveis. Se ambos, um benéfico e um maléfico, então será através de ambos os meios. Se o Graha em questão estiver em exaltação, ou em seu próprio Rāśi etc., haverá plenitude de ganhos e plenitude de felicidade”. BPHS 31:8-11

“Oh, excelente dos Brahmanes, se o 12º do Lagna Pada (AL) não recebe uma dṛṣṭi, conforme o 11º do Lagna Pada recebe de um Graha, então os ganhos serão ininterruptos”. BPHS 31:8-12

13-15. Oh, Brāhmaṇe, a quantidade de ganhos corresponde ao número dos Grahas nele ou que lançam Dṛṣṭi sobre o 11º do Lagna Pada. Se houver Argalā para o 11º, então haverá muito mais ganhos, enquanto uma Argalā benéfica trará ainda mais ganhos. Se o dito benéfico, causando Argalā, estiver em seu Rāśi de exaltação, os ganhos serão ainda mais elevados. Se o 11º recebe Dṛṣṭi de um benéfico do Lagna, o 9º etc., ganhos serão aumentados em ordem crescente. Em todos estes casos, o 12º do Pada deve, simultaneamente, estar livre de associações com maléficos. Um benéfico colocado no Lagna, e dando Dṛṣṭi sobre a 11ª do Āruḍha Lagna será ainda mais benéfico. Se o Dṛṣṭi é o 9º do Lagna, isso conferirá ainda mais ganhos. BPHS 31:13-15

ü  Para o benéfico no Lagna aspectar a 11ª do AL, o AL deve estar na casa 9 e o Senhor do ascendente estar na casa 5.
ü  Para o benéfico na casa 9 a contar do Lagna aspectar a 11ª do AL, o AL deve estar na casa 5 para o caso de ser Lua, Mercúrio, Vênus e Júpiter. E para o caso de ser Júpiter ele pode estar na casa 7, 9 ou 11. Neste caso o senhor do ascendente estará na casa 3 ou 9.

Jaimini, assim como Parāśara, ensina que a mesma natureza de gastos para os planetas colocados/aspectando a casa 12 do AL, devem ser entendidos como fontes de ganhos se eles estiverem posicionados ou aspectando a 11ª do AL. Assim, se Sol, Rāhu e Vênus influenciando a 11ª do AL casa mostram ganhos devido ao rei (governo).


Contudo, mesmo que haja planetas influenciando a 11ª do AL, se a 12ª do AL estiver aspectada ou ocupada por ambos, benéficos e maléficos, haverá abundantes ganhos, mas também muitos gastos. O benéfico traz ganhos por meios justos e os maléficos por meios injustos, enquanto uma mistura dos dois traz ganhos pelos dois meios.

Śloka semelhante existe no BPHS, o qual afirma que se Sol, Rāhu e Vênus influenciando a 11ª do AL casa mostram ganhos devido ao rei (governo). Porém, Parāśara diz que se a Lua der um Dṛṣṭi sobre estes planetas, causará mais ganhos.



Mercúrio na 11ª do AL, ou influenciando por aspecto, e recebendo aspecto de um benéfico, fará a pessoa obter prosperidade por meio dos parentes paternos. Um maléfico influenciando Mercúrio nesta posição indica disputa com parentes paternos para aquisição de prosperidade. Normalmente essa pessoa pode herdar propriedades paternas.

Júpiter na posição acima de Mercúrio, e recebendo aspecto de outros, então os ganhos podem vir através do governo e do próprio esforço da pessoa.

Saturno e Marte nesta posição e recebendo aspecto de outros, faz o nativo ganhar através dos irmãos. Saturno representa os irmãos mais velhos e Marte os irmãos mais novos.  


12ª a contar do AL – a casa 12 representa perdas de um modo geral. A casa 12 pode ser contada a partir do Lagna ou de qualquer outra casa. Por exemplo, as casas Ᾱpoklimas (3, 6, 9 e 12) foram derivadas dos Kendras e representam a perda da sustentação da vida, uma vez que os Kendras representam os pilares que sustentam a vida de todos os seres viventes. Aqui, a mesma natureza de ganhos dados pelos planetas posicionados ou aspectando as casas 2, 7 e 11 a partir do AL devem ser preditos como perdas quando influenciando a 12ª casa do AL.

Se o 12º do Lagna Pada recebe um Dṛṣṭi ou está em yuti com ambos, benéficos e maléficos, haverá abundantes ganhos, mas muitos gastos. O benéfico trará ganhos por meios justos, enquanto que maléficos por meios injustos, e Grahas misturados pelos dois meios, justos e injustos. Se o 12º Bhāva do Lagna Pada está conjunto com Sūrya, Śukra e Rāhu, haverá perda de riqueza através do rei (governo). Candra dando um Dṛṣṭi aos Grahas neste Bhāva, causará especificamente mais perdas. Se Budha está no 12º do Lagna Pada e está em yuti, ou recebendo um Dṛṣṭi de um benéfico, semelhantemente haverá gastos por meio dos parentes paternos. Um maléfico assim relacionado, ao dito Budha, causará perda de riqueza através de disputas. Oh, Brāhmaṇe, se Guru está no 12º Bhāva do Lagna Pada, recebendo um Dṛṣṭi de outros, os gastos serão através de impostos e com a própria pessoa. Oh, Brāhmaṇe, se Śani está no 12º Bhāva do Lagna Pada e junto com Maṅgala, e recebendo um Dṛṣṭi dos outros, os gastos serão através dos irmãos. BPHS BPHS 8:16-21

Jaimini também prediz os mesmos efeitos para os planetas colocados ou aspectando a 12ª casa do AL – Planetas conjuntando ou aspectando a 12ª casa do AL causa perdas e gastos. Sol, Rāhu e Vênus influenciando a 12ª casa mostram perdas e gastos devido ao rei (governo). Se a Lua também aspecta a 12ª casa (com Sol, Vênus ou Rāhu), estas perdas certamente se acumularão. Mercúrio aspectando ou conjuntando a 12ª indica perdas através de litígios, ou devido a primos e outros parentes. Júpiter aspectando ou conjuntando a 12ª mostra gasto por conta de multas, pedágios etc. Marte ou Saturno aspectando ou conjuntando a 12ª mostra perdas através de irmãos mais jovens ou mais velhos, respectivamente. 1.3.6-11 Jaimini


Formação de Rāja Yoga a partir do AL


A posição dos planetas a partir do AL forma, tal qual a partir do Lagna ou da Lua Natal, importantes yogas planetárias que produzem elevação na vida e status (Rāja Yoga), ou outros eventos.

Em Jaimini temos algumas importantes indicações, como abaixo:

1.3.28 – Se a Lua estiver aspectada ou conjunta por Vênus, ou se Vênus estiver na 3ª/11ª da Lua, Vāhana Yoga é formado. [N.T. este yoga indica veículos e a qualidade, forma e tamanho devem ser visto da força destes planetas e dos signos que os influenciam]
1.3.29 – Marte, Vênus e Ketu em mútuo aspecto, ou conjuntando a 3ª/11ª do AL formam Vaitanika Yoga. [N.T. luxúrias e vantagens recebidas sob insígnias reais. Vaitanika é um guarda-chuva que se carrega sobre símbolos religiosos]
1.3.30 – Se o 2º, 4º, 5º, 8º ou 9º Bhāvas do AL estiverem conjuntos por benéficos, isto resulta em Rāja Yoga.
1.3.31 – Maléficos na 3ª e 6ª do AL dá semelhantes resultados.
1.3.32 – Rāja Yogas são indicados por planetas a partir do Senhor do AL ou de sua 7ª (de modo semelhante ao stanza acima)
1.3.33 – Planetas misturados (maléficos e benéficos) reduzem o Raja Yoga.
1.3.34 – Se Maléficos estiverem no 2º, 4º, 5º, 8º ou 9º Bhāvas conforme benéficos estão no 3º e 6º Bhāvas, pobreza é indicada.
1.3.35 – Se Júpiter, Vênus ou a Lua estão presentes na 5ª ou 7ª casa do AL, do Paka AL ou Paka Āruḍha Saptama, o nativo se torna um emissário do Governo, uma autoridade política.
1.3.36 – Se maléficos estiverem na 3ª e 6ª, o nativo se junta às forças armadas.
1.3.42 – Contado do Lagna ou do AL, se igual número de planetas estiverem e qualquer dos seguintes pares de casas (2 e 12, 5 e 9, 8 e 6, 3 e 11, 4 e 10), Bandhana Yoga é formado. [N.T. indica prisão]
1.3.43 – Se benéficos aspectam o Bandhana Yoga, os problemas são temporários, enquanto maléficos indicam punição como espancamento e cadeia. [N.T. Júpiter indica confinamento por samadhi ou votos de silêncio, maunavrata; Vênus indica que o nativo pode escapar da prisão; Saturno ou Rāhu mostram reclusão física e espancamento; Marte mostra uso de punhal; Saturno indica períodos prolongados de dor; Rāhu mostra usto de misturas, químicas e engenhocas de tortura durante o período de reclusão].
1.3.45 – Vênus e a Lua, quer juntos ou independentemente, aspectando ou conjuntando a 1ª ou 4ª casa dá vários luxos e parafernálias geralmente em realeza.


Upapada Lagna

1.3.44 – Vênus e Gaunapada (UL) aspectado ou conjunto por Rāhu e Sol causam cegueira.

1.4.1 – O Āruḍha da 12ª casa (contado zodiacalmente) é o Upapada (UL).
1.4.2 – Se a 2ª do UL tem aspectos ou conjunções de maléficos, o nativo perde sua esposa ou renuncia ao mundo.
1.4.3 – O Sol não é um maléfico para questões relativas ao UL.
1.4.4 – Se a 2ª do UL tem conjunção/aspecto de benéfico, Pravrajya/perda de esposa pode não ocorrer.
1.4.5 – Se o planeta na 2ª estiver debilitado, ocorre a destruição da esposa.
1.4.6 – Se o planeta nesta 2ª estiver exaltado, haverá muitas esposas (ou a esposa terá vida longa).
1.4.7 – Se Gêmeos estiver na 2ª do UL, o nativo terá muitas esposas.
1.4.8 – Se a 2ª do UL estiver conjunta por seu Senhor, ou seu Senhor estiver colocado em seu próprio signo, ou em exaltação, perda de esposa, se a todos, será somente em idade avançada.
1.4.9 – Se o Senhor do UL estiver exaltado, esposa vem de uma classe superior.
1.4.10 – Se o Senhor do UL estiver debilitado, a esposa vem de uma classe inferior.
1.4.11 – Se benéficos se juntam ao UL, a esposa é bela/o marido é belo.
1.4.12 – Se o 2º do UL tem a conjunção de Rāhu e Saturno, o nativo pode perder ou abandonar sua esposa devido a escândalo.
1.4.13 – Se a 2ª tem a conjunção de Vênus e Ketu, complicações/desordem de sangue são previstos.
1.4.14 – Mercúrio e Ketu se juntando na 2ª indica decadência dos ossos, ou quebra de ossos da esposa em acidentes etc.
1.4.15 – Saturno, Rāhu e Sol na 2ª dá febre perigosa para a esposa.
1.4.16 – Mercúrio na 2ª com Ketu indicará uma esposa corpulenta.
1.4.17 – Se a 2ª do UL é um signo de Mercúrio com Saturno ou Marte nele, problemas nasais são indicados para a esposa.
1.4.18 – Se a 2ª do UL for um signo de Marte com Marte ou Saturno nele, a esposa terá semelhantes problemas nasais.
1.4.19 – Júpiter e Saturno associados com a 2ª do UL mostra complicações no ouvido ou desordens nervosas da esposa.
1.4.20 – Júpiter e Rāhu na 2ª do UL indica problemas dentais da esposa.
1.4.21 – Saturno e Rāhu na 2ª do UL em Aquário ou Peixes, indica coxeadura e flatulência, respectivamente, para a esposa.
1.4.22 – Benéficos aspectos sobre as conjunções dados nos stanzas anteriores, atenuam os resultados negativos.


Sobre Irmãos e o AL/UL

1.4.32 – Saturno ou Rāhu na 3ª ou 11ª casa causa perda de co-nascidos (irmãos mais jovens ou mais velhos).
1.4.33 – Vênus na 3ª/11ª casa causa perda de co-nascidos.
1.4.34 – Semelhantes resultados acontecem quando Vênus aspecta o UL ou a 8ª dele.
1.4.35 – Marte, Júpiter, Lua ou Mercúrio (na 3ª/11ª) dão muitos co-nascidos.
1.4.36 – Saturno e Marte aspectando a 3ª/11ª destrói os co-nascidos.
1.4.37 – Se Saturno aspecta somente o UL, co-nascidos da esposa serão perdidos.
1.4.38 – Ketu nos locais acima (3ª/11ª) dá muitas irmãs.
1.4.39 – Rāhu na 2ª do Senhor do 7º signo a partir do UL, mostra que o nativo terá uma dentição grotesca.
1.4.40 – Ketu na 2ª do Senhor do 7º signo a partir do UL, causa gagueira no nativo.
1.4.41 – Saturno na 2ª do Senhor do 7º signo a partir do UL, dá uma face feia e repulsiva.

Esses stanzas devem ser aplicados a partir do UL e do AL também.

Planetas colocados em casas trikas (6, 8 ou 12) do Ᾱrūḍha devem ser interpretados como situações negativas. As casas 6 e 8 representam nossos piores débitos na vida, normalmente planetas aqui representam as dívidas que teremos de resgatar com os significadores desses planetas. Eles podem infligir muito sofrimento na vida da natividade e se tornarem verdadeiros cobradores das más ações cometidas em vidas anteriores, além de mostrarem nossas fraquezas nessa vida.




Hari Om Tat Sat

Nenhum comentário:

Postar um comentário