© Todos os Direitos Reservados. Não é permitido compartilhar o conteúdo deste Blog em outros sites. Este Blog está protegido contra cópias de seu conteúdo inteiro ou em partes. Grata pela compreensão.

26 - Tara Sara Upanishad (Śukla Yajur Veda)


26 - Tara Sara Upanishad

  

Traduzido por:
 K. Narayanasvami Aiyar
Traduzido para o Português por
Uma Yoginī em seva a Śrī Śiva Mahadeva
Karen de Witt
***
Brasil – RJ
Maio/2010
___________________________
Fonte de Consulta
Vedanta Spiritual Library


Invocação

Om! Aquele (Brahma) é infinito, e este (universo) é infinito.
O infinito procede do infinito.
(Então) tomando a infinitude do infinito (universo),
Ele permanece como o infinito (Brahma) sozinho.
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!


CAPÍTULO – I

1: Hari Om. Brihaspati perguntou a Yajnavalkya: “Aquele que é chamado Kurukshetra é o local do sacrifico dos Devas e o assento espiritual de todos os seres. Portanto, onde se deve ir a fim de que se possa perceber Kurukshetra, o local do sacrifício dos Devas e o assento espiritual de todos os seres?” (Pelo que Yajnavalkya respondeu): “Avimukta é Kurukshetra, o local do sacrifício dos Devas e do estudo de Brahman, porque é lá que Rudra inicia uma pessoa no Taraka Brahman, quando Prana (vida) vai para fora. Através disto, uma pessoa torna-se imortal e o desfrutador de Moksha. Portanto, deve-se sempre estar no meio deste local, Avimukta, e nunca se deve sair, Oh, Reverendo Senhor, Avimukta”. Assim disse Yajnavalkya.

Om Namo Narayanaya

2: Então, Bharadvaja perguntou a Yajnavalkya: “O que é Taraka? O que é que faz com que uma pessoa cruze (este mundo de existência)?” Pelo que Yajnavalkya respondeu: “Om Namo Narayanaya é o Taraka. Ele deve ser adorado como Chidatma. Om é a única sílaba, e da natureza de Atman. Namah é de duas sílabas, e é da natureza de Prakriti (matéria). Narayanaya é de cinco sílabas, e é da natureza de Parabrahman. Quem conhece isto torna-se imortal. Através do “OM”, Brahma é produzido; através de “NA”, Vishnu é produzido; através de “MA”, Rudra é produzido; através de “NA” Ishvara é produzido; através de “RA” o Anda-Virat (ou Virat do universo) é produzido; através de “YA”, Purusha é produzido; através de “NA” Bhagavan (Senhor) é produzido; e através de “YA”, Paramatman é produzido. Este Ashtakshara (oito sílabas) do Narayana é o supremo e mais elevado Purusha. Assim é o Rig-Veda como a primeira base (ou metade).

CAPÍTULO – II

1: Aquele que é Om é o indestrutível, o supremo e Brahman. Aquele único deve ser adorado. Ele é isso que é de oito sílabas sutis. E isto se torna oito, sendo de oito formas. “A” é a primeira letra; “U” é a segunda; “M” é a terceira; Bindu é a quarta; Nada é a quinta; Kala é a sexta; Kalatita (que está além de Kala) é a sétima; e aquela que está além destas é a oitava. Ele é chamado Taraka, pois permite que se atravesse a existência mundana. Saiba que Taraka sozinho é Brahman e ele sozinho deve ser adorado. Os (seguintes) versos podem ser citados aqui:

1: “Da letra “A” vem Brahman chamado Jambavan (o suporte). Da letra “U” vem Upendra, chamado Hari.”

2: “Da letra “M” vem Shiva, conhecido como Hanuman. Bindu é chamado Ishvara e é Satrughna, o Senhor da discussão, em si.”

3: “Nada deve ser conhecido como o grande Senhor chamado Bharata, e o som da concha, em si. De Kala vem o Purusha, em si mesmo, como Lakshmana, e o portador da terra.”

4: “Kalatita é conhecida como a deusa Sita, em si mesma. Aquele que está além é o Paramatman, chamado Sri Rama, e é o mais elevado Purusha.”

“Tudo isto é a explicação da letra OM, que é o passado, o presente e o futuro, e que, para além destes, (ou seja) Tattva, Mantra, Varna (cor), Devata (deidade), Chhandas (métrica), Rik, Kala, Sakti e Srishti (criação). Quem conhece isto torna-se imortal. (Assim é) o Yajur-Veda com a segunda base”.

CAPÍTULO – III

Então, Bharadvaja perguntou a Yajnavalkya: “Através de que Mantra Paramatman é agradado e mostra seu próprio Atman (para as pessoas)? Por favor, diga isto.” Yajnavalkya respondeu:

1: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana e o Senhor descrito pela (letra) “A” e é Jambavan (o suporte) e Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

2: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana e o Senhor descrito pela (letra) “U” e é Upendra (ou) Hari e Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

3: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana e o Senhor descrito pela (letra) “M” e é da forma de Shiva (ou) Hanuman e Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

4: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana, o Senhor de Satrughna da forma de Bindu e o Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

5: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana e o Senhor, e é Bharata da forma de Nada e o Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

6: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana e o Senhor, e é Lakshmana da forma de Kala e o Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

7: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana e o Senhor, e é Kalatita, a Deusa Sita, da forma de Chit e o Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

8: Om. Quem é Sri-Paramatman, Narayana e o Senhor, que está além daquele (Kalatita), é o supremo Purusha e é o ancião Purushottama, o eterno, o imaculado, o iluminado, o emancipado, a verdade, a maior felicidade, o interminável, o Sem Um Segundo, e todo pleno – aquele Brahman é meu Eu. Eu sou Rama e o Bhuh, Bhuvah e Suvah; Saudações a Ele!

Aquele que tem dominado este Mantra de oito partes é purificado por Agni; ele é purificado por Vayu; ele é purificado pelo sol; ele é purificado por Shiva; ele é conhecido por todos os Devas. Ele alcança o fruto pela recitação Itihasas, Puranas, Rudra (Mantras), cem mil vezes. Quem, repetidamente, relembra (ou recita) o Ashtakshara ( o Mantra de oito sílabas) de Narayana, ganha o fruto da recitação de Gayatri cem mil vezes, ou do Pranava (OM) uma infinidade de vezes. Ele purifica (seus ancestrais) dez (graus) acima e (seus descendentes) dez (graus) abaixo. Ele alcança o estado de Narayana. Quem conhece isto (alcança) o estado de Narayana.

Como o olho (que vês sem qualquer obstáculo) a propagação das coisas (no céu), o sábio sempre vê o supremo assento de Vishnu. Os Brahmanas, que são espiritualmente despertos, louvam de diversas maneiras e iluminam a morada de Vishnu. Assim é o Upanishad. (Assim é) o Sama-Veda com a terceira base. Hari Om Tat Sat!


Invocação



Om! Aquele (Brahma) é infinito, e este (universo) é infinito.
O infinito procede do infinito.
(Então) tomando a infinitude do infinito (universo),
Ele permanece como o infinito (Brahma) sozinho.
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!



Aqui termina o Tarasara Upanishad pertencente ao Sukla-Yajur-Veda.