© Todos os Direitos Reservados. Não é permitido compartilhar o conteúdo deste Blog em outros sites. Este Blog está protegido contra cópias de seu conteúdo inteiro ou em partes. Grata pela compreensão.

Hino ao deus Sol - Ādityahṛdayam

॥अथ आदित्यहृदयम्॥

|| Atha Ādityahṛdayam ||

_____________________________


Uma breve introdução


O Āditya Hṛdayam é indicado, principalmente, quando uma pessoa está passando pela Mahā Daśā e seus subs períodos de Sūrya Graha. Quando Sūrya é um māraka (por governar, estar posicionado ou associado com governantes das casas 2 e 7), quando Ele governa casas trikas (6, 8 e 12) e/ou quando está associado com governantes destas casas ou, ainda, quando está colocado nestas casas.

Śrī Rāma, Avatāra de Śrī Viṣṇu, é a divindade associada ao Āditya, uma classe de deuses solares, como ensinado por Mahaṛṣi Parāśara.

Quando uma pessoa está enfrentando um período planetário difícil, adversidades surgem de todos os lados, falha nos empreendimentos, aumento de inimizades, baixa vitalidade que geram doenças físicas e outras de fundo psíquico-emocional e de difícil diagnóstico pela medicina ortodoxa, além de problemas espirituais que se estabelecem por todos os meios e formas.

Alguém que passa por semelhantes adversidades, muitas vezes não tem qualquer preparo para perceber que o problema não são as pessoas e nem mesmo os eventos à sua volta, mas sim a fase da colheita de grande demérito kármico. Não é possível, até mesmo para alguém bem versado nas Escrituras, que pratique suas injunções diariamente, que é devoto de Deus e de seu Guru, obter qualquer clareza mental para uma maior compreensão do que está acontecendo em sua vida de um modo geral. Isto porque o sofrimento tolhe, em grande parte, o senso de discernimento cultivado durante a vida, e a māyā lançada por aquele Graha faz com que nos vejamos vítimas das circunstâncias e das pessoas que nos cerceiam.

Pessoas e circunstâncias são nada mais do que instrumentos para a realização do nosso karma aqui neste mundo. Quando estamos colhendo os frutos de nossas ações meritórias, a harmonia se estabelece na vida. Mas quando estamos colhendo os frutos de nossas ações demeritórias o que ocorre é justamente o contrário.

A māyā lançada por um Graha nos impede de ver isso com clareza. Então vemos no outro que nos fere um inimigo. Pela ausência de discernimento e entendimento das leis que regem a vida humana aqui na terra, somos levados a combater o inimigo na forma de nosso semelhante. Isso está errado. Não há inimigo. Esqueça o inimigo. A batalha sempre foi e é travada dentro de si mesmo. Assim é ensinado na Bhagavad-Gītā, assim é ensinado aqui no Āditya Hṛdaya, um hino de louvor ao deus Sol. Inúmeros são o Śāstras que nos remete a este entendimento e nos leva a essa profunda reflexão da vida e dessas leis universais.

Quando nos dedicamos a um determinado tipo de ritual para retificação de um Graha, estamos limpando, por meio da penitência, nossos karmas. Existem muitas formas de limpar o karma, quer por Homa, Tarpaṇa, prática de Yoga (seus vários métodos) e Meditação Transcedental, todos estes são métodos válidos e aconselhados pelos Mahaṛṣis como penitência espiritual. Existem, contudo, karmas que podem ser purificados com facilidade, outros com alguma dificuldade e, uma terceira classe, impossíveis de serem alterados.

Quando uma pessoa se propõem a limpar seu karma, quer por meio da recitação de um hino de louvor, de japam, yajña, tarpaṇam, sādhanā, pūjā, banhos em rios sagrados, peregrinações a locais santos, atos de caridade, doações de artigos do planeta etc., a longo prazo essa penitência limpa os atos demeritórios, quer desta vida, quer de vidas passadas, que o aprisiona a laços karmicos que trazem sofrimento nesta vida. Em seguida, e progressivamente, a desarmonia desaparece, o inimigo se transforma em amigo, a obsessão some, a doença encontra a cura, o aprendizado se torna límpido e o caminho flui para inúmeras realizações na vida.

O que aconteceria, por exemplo, com uma pessoa que vive um período planetário para aumento de inimizades? Caso ela não aplique medidas corretivas, ela pode vencer um “inimigo” após o outro, caso tenha colocações planetárias favoráveis para vencer em batalha, e viver um período de grande tensão e adversidades na vida, ou pode aplicar a medida corretiva adequada e anular esta predisposição karmica, afastando de si a “inimizade” e tornando em harmonia o que antes era um estado de turbulência. Assim se deve proceder diante das adversidades na vida, buscar a interiorização e a prática de vratas espirituais para remoção dos tormentos da vida, ao invés de mergulhar em um estado de vitimização e culpar o outro que nada mais é do que instrumento da vida para realização de seu mau karma.

Karen de Witt
Astróloga Védica
_____________________________


Introdução

Antes de começarmos, deixe nos curvarmos ao Āditya, o deus Sol, que nos concede toda a prosperidade e que é capaz de destruir todos os nosso inimigos.

Āditya Hṛdayam é um hino ao deus Sol e faz parte do canto 107 do Vālmīki Rāmāyaṇa. O cenário é o campo de batalha e a luta entre Rāvaṇa e o Senhor Rāma1 acaba de ser suspensa. Este último entra em um estado contemplativo e é instruído pelo sábio Agastya sobre a glória de Āditya, o deus Sol.

O grande Ācārya, Śaṅkara Ācārya, estabeleceu a adoração de cinco divindades: Gaṇeśa, Viṣṇu, Śakti, Śiva e Āditya2. A adoração estabelece a função de cada divindade enquanto é lembrada a unidade entre eles. A unidade entre todos é Brahmā. Estabelecida no domínio do espaço-tempo, a mente se engana sobre o nascer e o pôr do sol. Na realidade o sol está sempre presente. Igualmente podemos nos confundir em relação a sermos o corpo-mente e sofrer em consequência disso, enquanto que, na verdade, somos Sat-cit-ānanda sem um igual. Para nos tornarmos conscientes desta verdade, é preciso destruir todos os inimigos internos (como kāma, krodha, lobha, mada etc.)3 e estabelecermos as nossas mentes aos pés de lótus do divino em todos os momentos. A recitação deste hino objetiva essa façanha aparentemente impossível.

Embora este hino seja direcionado ao Senhor Rāma, que parece estar em um estado de aflição, Śrī Rāma está bem consciente de Sua divindade. Assim como diz Sitā, "Saiba que Rāma é o Supremo Brahmā – o Sat-Cit-Ānanda (Verdadeiro-Conhecimento-Bem-aventurança) absolutos, sem um segundo. Ele é pura Consciência desprovida de todos os adjuntos, a quem os sentidos não O podem perceber como objeto".

Mas Rāma se comportou como um humano para dar exemplo para todos nós seres humanos. Por Sua graça temos os ensinamentos do Yoga Vasistha, uma vez que Rāma fez se passar por ignorante para fazer perguntas a Vasistha. Do mesmo modo aqui obtemos um hino capaz de destruir todos os nossos inimigos internos, o qual concederá felicidade suprema sobre nós, porque neste hino Rāma simula angústia. O comportamento de Rāma também tem como objetivo dar um exemplo de como nós, exteriormente, podemos agir em nossos papéis e aparentar felicidade ou tristeza, ao mesmo tempo em que compreendemos interiormente que o mundo é apenas uma miragem e que a única realidade é o Eu, Brahmā.

_________________________________

1 – Śrī Rāma é a divindade associada ao deus Sol, um Avatāra de Śrī Viṣṇu, como por Mahaṛṣi Parāśara.
2 – Āditya – são um grupo de deuses solares; as cinco divindades descritas simbolizam os tattvas. Sua adoração diária é prescrita nas abluções (purificações com água e mantras que precede o banho comum).
3 – Estes são os ṣaḍripus (षड्रिपु) – kāma, lobha, krodha, mada, moha, mātsarya.
4- Fonte de consulta  Aditya Hridayam is Sarga 105 in Yuddha Kanda of Valmiki; Ramayana (Gita Press, 1995, 4th edn.); Encoded and translated by M. Giridhar; http://sanskritdocuments.org


_____________________________


॥अथ आदित्यहृदयम्॥
|| Atha Ādityahṛdayam ||


ततो युद्धपरिश्रान्तं समरे चिन्तया स्थितम्।
रावणं चाग्रतो दृष्ट्वा युद्धाय समुपस्थितम्॥ १॥
tato yuddha pariśrāntaṁ samare cintayā sthitam |
rāvaṇaṁ cāgrato dṛṣṭvā yuddhāya samupasthitam ||1||
दैवतैश्च समागम्य द्रष्टुमभ्यागतो रणम् 
उपागम्याब्रवीद्राममगस्त्यो भगवानृषिः 
daiva taiśca samāgamya draṣṭu mabhyā gato raṇam |
upāgamyā bravīdrāmam agastyo bhagavān ṛṣiḥ ||2||

राम राम महाबाहो शृणु गुह्यं सनातनम् 
येन सर्वानरीन्वत्स समरे विजयिष्यसि 
rāma rāma mahābāho śṛṇu guhyaṁ sanātanam |
yena sarvānarīn vatsa samare vijayiṣyasi ||3||
आदित्यहृदयं पुण्यं सर्वशत्रुविनाशनम् 
जयावहं जपेन्नित्यं अक्षय्यं परमं शिवम्   
āditya-hṛdayaṁ puṇyaṁ sarva śatru-vināśanam |
jayāvahaṁ japen-nityaṁ akṣayyaṁ paramaṁ śivam ||4||
सर्वमङ्गलमाङ्गल्यं सर्वपापप्रणाशनम् 
चिंताशोकप्रशमनं आयुर्वर्धनमुत्तमम्   
sarvamaṅgala-māṅgalyaṁ sarva pāpa praṇāśanam |
ciṁtāśoka-praśamanaṁ āyurvardhana-muttamam ||5||
रश्मिमंतं समुद्यन्तं देवासुरनमस्कृतम् 
पूजयस्व विवस्वन्तं भास्करं भुवनेश्वरम्   
raśimamaṁtaṁ samudyantaṁ devāsura-namaskṛtam |
pūjayasva vivasvantaṁ bhāskaraṁ bhuvaneśvaram ||6||
सर्वदेवात्मको ह्येष तेजस्वी रश्मिभावनः 
एष देवासुरगणाँल्लोकान् पाति गभस्तिभिः   
sarva devātmako hyeṣa tejasvī raśimabhāvanaḥ |
eṣa devāsura gaṇāṁllokān pāti gabhastibhiḥ ||7||
एष ब्रह्मा च विष्णुश्च शिवः स्कन्दः प्रजापतिः 
महेन्द्रो धनदः कालो यमः सोमो ह्यपां पतिः  
eṣa brahmā ca viṣṇuśca śivaḥ skandaḥ prajāpatiḥ |
mahendro dhanadaḥ kālo yamaḥ somo hyapāṁ patiḥ ||8||
पितरो वसवः साध्या ह्यश्विनौ मरुतो मनुः 
वायुर्वह्निः प्रजाप्राण ऋतुकर्ता प्रभाकरः 
pitaro vasavaḥ sādhyā hyaśvinau maruto manuḥ |
vāyurvahniḥ prajā-prāṇa ṛtukartā prabhākaraḥ ||9||
आदित्यः सविता सूर्यः खगः पूषा गभस्तिमान् 
सुवर्णसदृशो भानुर्हिरण्यरेता दिवाकरः  १०ou भानुर्विश्वरेता
ādityaḥ savitā sūryaḥ khagaḥ pūṣā gabhastimān |
suvarṇasadṛśo bhānur-hiraṇyaretā divākaraḥ ||10 ||
हरिदश्वः सहस्रार्चिः सप्तसप्तिर्मरीचिमान् 
तिमिरोन्मथनः शंभुस्त्वष्टा मार्ताण्ड अंशुमान्  ११ ou मार्तण्ड
haridaśvaḥ sahasrārciḥ saptasaptirmarīcimān |
timironmathanaḥ śaṁbhu-stvaṣṭā mārtāṇḍa aṁśumān ||11||
हिरण्यगर्भः शिशिरस्तपनो भास्करो रविः 
अग्निगर्भोऽदितेः पुत्रः शङ्खः शिशिरनाशनः १२
hiraṇyagarbhaḥ śiśira stapano bhāskaro raviḥ |
agni garbho’diteḥ putraḥ śaṅkhaḥ śiśira nāśanaḥ ||12||
व्योमनाथस्तमोभेदी ऋग्यजुःसामपारगः 
घनवृष्टिरपां मित्रो विन्ध्यवीथी प्लवङ्गमः १३
vyomanāthastamobhedī ṛgyajuḥ sāmapāragaḥ |
ghanavṛṣṭirapāṁ mitro vindhya-vīthī plavaṅgamaḥ ||13||
आतपी मण्डली मृत्युः पिङ्गलः सर्वतापनः 
कविर्विश्वो महातेजाः रक्तः सर्वभवोद्भवः १४
ātapī maṅḍalī mṛtyuḥ piṅgalaḥ sarvatāpanaḥ |
kavirviśvo mahātejāḥ raktaḥ sarva bhavodbhavaḥ ||14||
नक्षत्रग्रहताराणामधिपो विश्वभावनः 
तेजसामपि तेजस्वी द्वादशात्मन्नमोऽस्तु ते १५
nakṣatra grahatārāṇām-adhipo viśva-bhāvanaḥ |
tejasāmapi tejasvī dvādaśātman namo’stu te ||15||
नमः पूर्वाय गिरये पश्चिमायाद्रये नमः 
ज्योतिर्गणानां पतये दिनाधिपतये नमः १६
namaḥ pūrvāya giraye paścimāyādraye namaḥ |
jyotirgaṇānāṁ pataye dinādhipataye namaḥ ||16||
जयाय जयभद्राय हर्यश्वाय नमो नमः 
नमो नमः सहस्रांशो आदित्याय नमो नमः १७
jayāya jaya bhadrāya haryaśvāya namo namaḥ |
namo namaḥ sahasrāṁśo ādityāya namo namaḥ ||17||
नमः उग्राय वीराय सारङ्गाय नमो नमः 
नमः पद्मप्रबोधाय मार्ताण्डाय नमो नमः १८ou मार्तण्डाय
namaḥ ugrāya vīrāya sāraṅgāya namo namaḥ |
namaḥ padmaprabodhāya mārtāṇḍāya namo namaḥ ||18||
ब्रह्मेशानाच्युतेशाय सूर्यायादित्यवर्चसे 
भास्वते सर्वभक्षाय रौद्राय वपुषे नमः १९
brahmeśānācyuteśāya sūryāyādityavarcase |
bhāsvate sarva bhakṣāya raodrāya vapuṣe namaḥ ||19||
तमोघ्नाय हिमघ्नाय शत्रुघ्नायामितात्मने 
कृतघ्नघ्नाय देवाय ज्योतिषां पतये नमः २०
tamoghnāya himaghnāya śatrughnāyāmitātmane |
kṛtaghnaghnāya devāya jyotiṣāṁ pataye namaḥ ||20||
तप्तचामीकराभाय वह्नये विश्वकर्मणे  ou हरये विश्वकर्मणे
नमस्तमोऽभिनिघ्नाय रुचये लोकसाक्षिणे २१
taptacāmī karābhāya vahnaye viśvakarmaṇe |
namastamo’bhiniāya rucaye lokasākṣiṇe ||21||
नाशयत्येष वै भूतं तदेव सृजति प्रभुः 
पायत्येष तपत्येष वर्षत्येष गभस्तिभिः २२
nāśayat yeṣa vai bhūtaṁ tadeva sṛjati prabhuḥ |
pāyatyeṣa tapatyeṣa varṣatyeṣa gabhastibhiḥ ||22||
एष सुप्तेषु जागर्ति भूतेषु परिनिष्ठितः 
एष एवाग्निहोत्रं च फलं चैवाग्निहोत्रिणाम् २३
eṣa supteṣu jāgarti bhūteṣu pariniṣṭhitaḥ |
eṣa evāgnihotraṁ ca phalaṁ caivāgnihotriṇām ||23||
वेदाश्च क्रतवश्चैव क्रतूनां फलमेव च 
यानि कृत्यानि लोकेषु सर्व एष रविः प्रभुः २४
vedāśca kratavaścaiva kratūnāṁ phalam eva ca |
yāni kṛtyāni lokeṣu sarva eṣa raviḥ prabhuḥ ||24||



 फल श्रुतिः 
|| phala śrutiḥ ||

एनमापत्सु कृच्छ्रेषु कान्तारेषु भयेषु च 
कीर्तयन् पुरुषः कश्चिन्नावसीदति राघव २५
ena-māpatsu kṛccheṣu kāntāreṣu bhayeṣu ca |
kīrtayan puruṣaḥ kaścinnāvasīdati rāghava ||25||
पूजयस्वैनमेकाग्रो देवदेवं जगत्पतिम् 
एतत् त्रिगुणितं जप्त्वा युद्धेषु विजयिष्यसि २६
Pūjayasvaina-mekāgro devadevaṁ jagatpatim |
etat triguṇitaṁ japtvā yuddheṣu vijayiṣyasi ||26||
अस्मिन्क्षणे महाबाहो रावणं त्वं वधिष्यसि 
एवमुक्त्वा तदाऽगस्त्यो जगाम च यथागतम् २७
asmin kṣaṇe mahābāho rāvaṇaṁ tvaṁ vadhiṣyasi |
evamuktvā tada’gastyo jagāma ca yathāgatam ||27||
एतच्छ्रुत्वा महातेजा नष्टशोकोऽभवत्तदा 
धारयामास सुप्रीतो राघवः प्रयतात्मवान् २८
etacchrūtvā mahātejā naṣṭaśoko’bhavattadā |
dhārayāmāsa suprīto rāghavaḥ prayatātmavān ||28||
आदित्यं प्रेक्ष्य जप्त्वा तु परं हर्षमवाप्तवान् 
त्रिराचम्य शुचिर्भूत्वा धनुरादाय वीर्यवान् २९
ādityaṁ prekṣya japtvā tu paraṁ harṣamavāptavān |
trirācamya śucirbhūtvā dhanurādāya vīryavān ||29||
रावणं प्रेक्ष्य हृष्टात्मा युद्धाय समुपागमत् 
सर्व यत्नेन महता वधे तस्य धृतोऽभवत् ३०
rāvaṇaṁ prekṣya hṛṣṭātmā yuddhāya samupāgamat |
sarva yatnena mahatā vadhe tasya dhṛto’bhavat ||30||
अथ रविरवदन्निरीक्ष्य रामं
मुदितमनाः परमं प्रहृष्यमाणः 
निशिचरपतिसंक्षयं विदित्वा
सुरगणमध्यगतो वचस्त्वरेति ३१

atha ravi-ravadan-nirīkṣya rāmaṁ
mudita manāḥ paramaṁ prahṛṣyamāṇaḥ |
niśicarapati-saṁkṣayaṁ viditvā
suragaṇā-madhyagato vacastvareti ||31||
 इति आदित्यहृदयम् मंत्रस्य 

|| iti ādityahṛdayam maṅtrasya ||

Nenhum comentário:

Postar um comentário