© Todos os Direitos Reservados. Não é permitido compartilhar o conteúdo deste Blog em outros sites. Este Blog está protegido contra cópias de seu conteúdo inteiro ou em partes. Grata pela compreensão.

36 - Dakshinamurti Upanishad (Kṛṣṇa Yajur Veda)



36
Dakshinamurti Upanishad

Traduzido por:
P. R. Ramachander
Publicado por:
celextel.org

Traduzido para o Português por

Uma Yoginī em seva a Śrī Śiva Mahadeva
Karen de Witt
***

Brasil – RJ
Maio/2010
___________________________

Fonte de Consulta
Vedanta Spiritual Library


Invocação



Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!


1: OM. Em Brahma Vartha (Terra de Brahma), sob uma figueira chamada Maha Bandira, muitos sábios, incluindo Sounaka, tinham se reunido para executar um Sathra, sacrifício do fogo. Eles aproximaram-se do sábio Markandeya, vestindo samiths (galhos secos de bananeira) como luvas e perguntaram a ele, “Como você consegue ser um Chiram Jeevi (aquele que não morre) e como você sempre está em estado de felicidade?”

Ele respondeu, “Isto é devido ao conhecimento da mais secreta filosofia de Shiva. Esta verdadeira filosofia de Shiva, pelo qual Shiva, que é o Dakshinamurthy, torna-se algo que não é visível aos outros. Ele é aquele Deus que, no momento do dilúvio final, mantém tudo o mais dentro de si mesmo, e brilha por causa do prazer de seu próprio espírito. Os mantras secretos acerca dele são os seguintes: Brahma é o sábio, a métrica é Gayatri, e o deus é Dakshinamurthy para este mantra.

2: O Primeiro Mantra é de 24 letras: depois de dizer “OM”, diga “NAMO” e, em seguida, “BHAGAVATHE DAKSHINAMURTHAYE”; em seguida a quarta forma de “ASMAD”, ou seja, “MAHYAM”, em seguida, “MEDHAM PRAGNAM”, em seguida a raiz do vento “YA”, adicionado com “CHCHA”, seguido pelo nome da esposa do deus do fogo, “SWAHA”. Este é o Mantra com 24 letras. Que é:

“Om Namo Bhagavathe Dakshinamurthaye Mahyam,
Medham Pragnam Prayacha Swaha!”

3: Então, Dhyanam (pensando prender a forma na mente, quando o mantra é cantado). Eu saúdo a ele, que é branco como um cristal, que detém em suas mãos, uma cadeia de pérolas, o pote do néctar, que é a forma do conhecimento, e o mudra (símbolo feito com a mão) da sabedoria, que amarra a si mesmo com uma serpente, que usa a lua em sua cabeça e que veste diferentes tipos de ornamentos.

4: O Segundo Mantra é de nove letras: Primeiro diz “OM”, em seguida, a primeira vogal com o visarga e, no fim, Panchakshari com visarga, no final, e isso compõem o Navakshari Mantra (mantra de nove letras). Que é:

“Om Aam Aa Sivaya Nama Om”

5: Então, Dhyanam. Deixe o Deus de três olhos, que faz somente o bem, que tem em suas três mãos, o sinal da proteção, o cervo e o machado, e a quarta mão está mantida em seu joelho, que tem enrolado uma serpente em seu corpo, que brilha branco como o leite, que fica debaixo de uma figueira, e que está cercado por sábios, como Shuka, dando-nos pensamentos puros.


[Slokas 6 não está disponível.]


7: O Terceiro Mantra: Adicionando Broom Nama, Maya Bheeja, Vagbhava Bheeja, Dakshinamurthaye e Jnanam Dehi Swaha ao OM. O Mantra deve ser:

“Om Broom,
Namo Hreem Im Dakshinamurthaye Jnanam Dehi Swaha!”


8: Então, Dhyanam: Deixe o Deus Dakshinamurthy, que tem um corpo branco devia ao uso das cinzas sagradas, que usa a lua crescente em sua cabeça, que detém em suas mãos, Jnana mudrá (símbolo da sabedoria), uma cadeia de contas (mala de Rudraksha), Veena e livros , que veste todos os ornamentos, que veste couro de elefante, que se assemelha a Rama em meditação, que se senta no trono da explicação, e que está sendo servido por grandes sábios, proteger-nos todos.

9: Temos de ver que a lâmpada da sabedoria, que queima com a renúncia, como óleo, e a devoção como o pavio, e o qual brilha no vaso repleto do estado de vigília.

10: No início da criação, o Senhor Brahma orou a este Dakshinamurthy e, obtendo a capacidade de criar seres, ficou muito feliz. Ele se tornou abençoado depois de conseguir o que ele desejava. Aquele Brahma, portanto, tornou-se um devoto, bem como alguém que merece nossa devoção.

11: Quem lê esta filosofia de Shiva, como compreensão, deve se livrar de todos os seus pecados. Os que conhecem esta verdade alcançam a salvação.



Invocação


Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!


Aqui termina o Dakshinamurti Upanishad pertencente ao Krishna-Yajur-Veda.