© Todos os Direitos Reservados. Não é permitido compartilhar o conteúdo deste Blog em outros sites. Este Blog está protegido contra cópias de seu conteúdo inteiro ou em partes. Grata pela compreensão.

41 - Kalagni Rudra Upanishad (Kṛṣṇa Yajur Veda)



41
Kalagni Rudra Upanishad


Traduzido para o Português por

Uma Yoginī em seva a Śrī Śiva Mahadeva
Karen de Witt
***
Brasil – RJ
Junho/2010
___________________________

Fonte de Consulta
Vedanta Spiritual Library


Invocação



Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!







OM! Que Brahman possa nos proteger (o Guru e Sishya) ambos! Que Ele possa nos dar, a ambos, (o suficiente) para desfrutar! Que nós possamos alcançar, ambos, a eficiência! Que nosso estudo prove ser efetivo! Que nós não odiemos (um ao outro) absolutamente!

Om Shanti! Shanti! Shanti!


Uma vez aconteceu de Sanat Kumara perguntar ao elevado Kalagnirudra: “Ensina-me, Oh elevado Senhor!, a verdade a respeito das regras do Tripundram (uma marca da escola religiosa composta de três listras (, e que material, qual local, quanto, de que medida e quais as listras, quais a divindade, quais fórmula, quais poderes e quais recompensas existem?”

O elevado disse a ele: “O material deve ser as cinzas dos fogos. Deve-se pegar com as cinco fórmulas de Brahman (Sathyojatam (oeste), Vamadevam (norte), Agoram (sul), Rudram (leste), Eesanam (centro acima)). Consagrá-lo com a fórmula “Agnir iti bhasma” etc. Retire com a formula “ma nas toke tanayae” e (depois da consagração), com a fórmula “Trayambakam Yajamahe” deve aplicar as três linhas em toda a cabeça, na testa, no peito e nos ombros sob as fórmulas tryayusa, trayambaka e trisakti.

Este é o voto de Sambhu (Shiva), que é ensinado em todos os Vedas por aqueles versados nos Vedas. Portanto, desejando a liberação, deve-se praticá-lo, para que ele não nasça novamente. E assim, Oh! Sanat Kumara, é a sua (da marca) medida; ela se estende triplamente da testa descendo para os olhos, e vai para o centro de uma sobrancelha a outra.

Sua primeira linha é o fogo Grahapatya, é o “A” do som (de AUM), o Rajas (característica forte), o mundo terrestre, o Atman externo, o poder de agir, o Rig Veda, a manhã premente (do Suco do Soma), e Maheswara é a sua divindade.

Sua segunda linha é o fogo Dakshina, o “U” do som, o Sattvam (característica pacífica), a atmosfera, o Atman interno, o poder da vontade, o Yajur Veda, o meio dia premente do Soma, e Sadasiva é a sua divindade.

A terceira linha é o fogo Ahavaniya, o “M” do som, o Tamas (característica de inércia), o paraíso, o mais elevado Atman, o poder de perceber, o Sama Veda, a noite premente do Veda, e Siva é a sua divindade.

Portanto, ele faz o Tripundram das cinzas. Quem sabe isto, quer ele seja um estudante Brahman, um chefe de família, um morador de floresta, ou um asceta, ele é, por esse meio, purificado de todos os maiores e menores pecados. Assim, todos os deuses são meditados por ele, ele é conhecido por todos os deuses, torna-se aquele que se banhou em todos os locais sagrados de banhos, que tem murmurado todas às vezes a oração de Rudra. E depois de desfrutar todos os prazeres ele entra, abandonando o corpo, em união com Siva, e não retorna – e não volta.

Assim falou o elevado Kalagni Rudra, quem recitá-lo aqui, também alcança semelhante estado. Om Satyam – Assim diz o Upanishad.

OM! Que Brahman possa nos proteger (o Guru e Sishya) ambos! Que Ele possa nos dar, a ambos, (o suficiente) para desfrutar! Que nós possamos alcançar, ambos, a eficiência! Que nosso estudo prove ser efetivo! Que nós não odiemos (um ao outro) absolutamente!

Om Shanti! Shanti! Shanti!


Invocação

Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!


Aqui termina o Kalagni-Rudropanishad pertencente ao Krishna-Yajur-Veda.