© Todos os Direitos Reservados. Não é permitido compartilhar o conteúdo deste Blog em outros sites. Este Blog está protegido contra cópias de seu conteúdo inteiro ou em partes. Grata pela compreensão.

42 - Kali Santarana Upanishad (Kṛṣṇa Yajur Veda)



42
Kali Santarana Upanishad


Traduzido por:
K. Narayanasvami Aiyar
Publicado por:
*

Traduzido para o Português por

Uma Yoginī em seva a Śrī Śiva Mahadeva
Karen de Witt

***
Brasil – RJ
Junho/2010
___________________________

Fonte de Consulta

Vedanta Spiritual Library


Invocação

Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!



Hari Om! Ao final do Era de Dvapara Yuga, Narada foi a Brahma e perguntou-Lhe assim: “Oh, Senhor, como poderei, vagando sobre a terra, ser capaz de cruzar Kali? Ao qual Brahma, assim, respondeu: “Bem perguntado. Atendei ao que todos os Shrutis (os Vedas) mantêm em segredo e oculto, através do que se pode cruzar o Samsara (existência mundana) de Kali. “Ele agita fora (os efeitos do mal) Kali através do simples pronunciar do nome do Senhor Narayana, que é o Purusha primitivo”. Novamente Narada perguntou a Brahma: “Qual é o nome?” Pelo qual Hiranyagarbha (Brahma) respondeu assim:


1. Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare
Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare.

2: Estes dezesseis nomes (palavras) são destruidores dos efeitos do mal de Kali. Nenhum meio melhor do que este é visto em todos os Vedas.

3: Estes (dezesseis nomes) destroem o Avarana (ou a força centrípeta que produz o sentido da individualidade) de Jiva rodeado pelos dezesseis Kalas (raios). Então, como a esfera do sol, que brilha plenamente depois que as nuvens (limpando-as) dispersam, Parabrahman (por si só) brilha.

4: Narada perguntou: “Oh, Senhor, quais são as regras para serem observadas com referência a ele?” Pelo qual Brahma respondeu que não havia regras para isso. Aquele que profere em estado puro ou impuro, profere-os sempre, alcança o mesmo mundo de, ou próximo com, ou a mesma forma de, ou absorção, em Brahma.

Aquele que profere Três Crores e meio (ou trinta e cinco milhões) de vezes este Mantra, composto de dezesseis nomes (das palavras) cruza o pecado do assassinato de um Brahmana. Ele se torna purificado do pecado do roubo de ouro. Ele se torna purificado do pecado de coabitação com uma mulher de uma casta inferior. Ele é purificado dos pecados do mal feito aos Pitris, aos Devas e aos homens. Tendo desistido de todos os Dharmas, ele se torna liberado de uma só vez de todos os pecados. Ele é liberado de uma só vez de toda a escravidão. Que ele é liberado de uma só vez de toda a escravidão é o Upanishad.


Hari Om Tat Sat!



Invocação

Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!



Aqui termina o Kalisantarana Upanishad pertencente ao Krishna-Yajur-Veda.