© Todos os Direitos Reservados. Não é permitido compartilhar o conteúdo deste Blog em outros sites. Este Blog está protegido contra cópias de seu conteúdo inteiro ou em partes. Grata pela compreensão.

51 - Sariraka Upanishad (Kṛṣṇa Yajur Veda)


51
Sariraka Upanishad


Traduzido por:
Dr. A. G. Krishna Warrier
Publicado por:
The Theosophical Publishing House, Chennai
Traduzido para o Português por
Uma Yoginī em seva a Śrī Śiva Mahadeva
Karen de Witt

***
Brasil – RJ
Junho/2010
___________________________

Fonte de Consulta
Vedanta Spiritual Library

Invocação

Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!


Então, o corpo é uma combinação de cinco elementos como a terra. O que é dura é a terra, o que é líquido é a água, o que é quente é o fogo, o que se move é o ar; o que é poroso é o espaço.

Os órgãos dos sentidos são o ouvido etc.: o ouvido está no céu (espaço), o sentido do toque (pelo) está no ar; o olho, no fogo; a língua, na água; o cheiro, na terra. Assim para os sentidos, som etc., são os objetos.

Os órgãos de ação são: língua, mãos, pés, braços e genitais. Seus objetos são: discurso, pegar, caminhar, evacuar e prazer. Esses se elevam da terra etc., respectivamente.

Mente, Intelecto, Egoísmo e mente auto-consciente são os quatro sentidos internos. Seus espaços são volição e dúvida, determinação, afeição, decisão. A mente está na extremidade da garganta, o intelecto na face, o egoísmo no coração, a mente consciente no umbigo.

Osso, pele, nervos, cabelo, carne são partes da terra; urina, catarro, sangue e sêmen são partes da água; fome, sede, preguiça, ilusão e sexo são partes do fogo; circulação, erupção, movimento dos olhos etc., do ar; luxúria, raiva, ganância, ilusão e medo são do éter.

Os atributos da terra são o som, tato, forma, sabor e odor; da água: som, tato, forma e paladar; do fogo são: som, tato e forma; do ar: som e tato; do éter: o som somente.

A não-violência, a verdade, o não roubo, a continência e não posse, a ausência de raiva, o serviço aos mais velhos, a limpeza, o contentamento e a honestidade, a não vaidade, a sinceridade, a fé e o não ferir – são qualidades (efeitos) de Sattva.

Eu sou o executor, o desfrutador, o orador, sou conceituado – esses são de Rajas. Sono, preguiça, ilusão, apego, sexo e roubo – são de Tamas. A pessoa de Sattva está acima, de Rajas no meio, e de Tamas abaixo. O conhecimento correto é Sattviko; dos rituais, Rajasico; da cegueira, Tamasico.

Primeiro o estado de vigília repousa nos cinco órgãos dos sentidos, os cinco da ação e os quatros sentidos internos (ser ativo). O sonho depende dos quatros sentidos internos somente; o sono sem sonho tem somente a mente como instrumento ativo; o quarto estado (*) tem somente a alma (ativa).

(*) Turya é o quarto estado, além dos estados de vigília, sonho e sono sem sonho.

O conhecedor é o eu empírico, além do supremo, estacionado entre a consciência (do objeto) e a indiferença (a ele).

Os cinco órgãos dos sentidos e da ação com os cinco ares vitais, a mente e o intelecto, compõem o Linga sarira. A mente, o intelecto, o princípio auto-consciente, a terra etc., são as oito Prakritis. Existem dezesseis outros; as transformações do ouvido, pele, olhos, língua e nariz; braços, genitais, mãos, pés, órgão vocal; som, tato, forma, paladar e olfato. Os vinte e três são os Tattvas (verdades eternas) relativas à Prakriti.

Os vinte e quatro são o Avyakta, o chefe (Tattva). O que completa o grupo como os vinte e cinco é o Purusha (Eu).

Invocação

Om! Que Ele possa proteger-nos, a ambos, juntos;
que Ele possa nutrir-nos, a ambos, juntos;
Que nos possamos trabalhar conjuntamente com a grande energia,
Que nosso estudo seja vigoroso e efetivo;
Que nós não possamos disputar mutuamente
(ou não odiarmos ninguém).
Om! Deixe haver Paz em mim!
Deixe haver Paz em meu ambiente!
Deixe haver Paz nas forças que atuam em mim!


Aqui termina o Sariraka Upanishad pertencente ao Krishna-Yajur-Veda.